Tirosina: O Que é, Para Que Serve, Alimentos Ricos e Suplemento


tirosina.jpg

A tirosina é um aminoácido condicionalmente essencial porque, sob condições normais, o corpo sintetiza quantidades suficientes a partir dafenilalanina. Esse aminoácido é incorporado em proteínas de todas as formas de vida e é um precursor para a síntese de um número de substâncias bioativas importantes para o corpo. Esse texto irá abordar o que é a tirosina, para que serve, quais os benefícios, quais os alimentos ricos nesse aminoácido e sobre o suplemento feito com esse composto.


O que é a Tirosina? E a L-tirosina?

A tirosina é considerada um aminoácido não essencial e é formado a partir de fenilalanina no corpo. Enquanto o corpo pode converter a fenilalanina em tirosina, ele não pode converter a tirosina em fenilalanina. A tirosina é classificada como um grande aminoácido neutro (LNAA) devido à sua estrutura química e propriedades.

A tirosina é comumente chamada de L-tirosina, que representa o isômero esquerdo da tirosina. Para esclarecer, isômeros são dois ou mais compostos que apresentam a mesma fórmula molecular, mesmo conjunto de átomos, e diferentes estruturas/arranjos no espaço. Você provavelmente não vai encontrar nenhum outro tipo de tirosina, mas teoricamente há a R-tirosina, que representaria o isômero direito da tirosina. Portanto, L-tirosina e tirosina representam, nesse texto, o mesmo composto químico.


Para que serve?

A tirosina é um composto progenitor e, portanto, essencial para a fabricação de alguns hormônios/neurotransmissores, incluindo a dopamina, diidroxifenilalanina (DOPA), norepinefrina e epinefrina, no sistema nervoso central e periférico e medula adrenal, e tiroxina e tri-iodotironina pela glândula tireoide. Além disso, o pigmento melanina (que ocorre na pele, cabelo e no revestimento coroide do olho) forma a conversão enzimática da tirosina.

Embora a tirosina seja classificada como um aminoácido não essencial, uma vez que pode ser sintetizado a partir de fenilalanina, existem considerações especiais que podem tornar um aminoácido condicionalmente essencial. Isso porque, embora o homem possa sintetizar a maior parte dos aminoácidos não essenciais a partir de glucose e de amoníaco, a síntese de tirosina requer a disponibilidade de fenilalanina, tal como cisteína requer a disponibilidade de metionina.

Ambos, fenilalanina e metionina, são aminoácidos essenciais, e se estiverem abaixo dos níveis mínimos na dieta, a tirosina e a cisteína podem tornar-se aminoácidos essenciais. Isso porque a falta de aminoácidos precursores diminui a capacidade do corpo de produzir estes aminoácidos normalmente não essenciais e, em seguida, eles tornam-se limitantes da velocidade para a síntese de proteínas.

Por exemplo, em alguns pacientes com doença hepática, a conversão hepática de fenilalanina em tirosina e metionina em cistina é inadequada, e, a menos que suficientes níveis de cistina/tirosina sejam administrados, a reposição de tecido magro (a síntese de proteína líquida) será consideravelmente limitada e a função do corpo será prejudicada.

O uso de tirosina pode ser potencialmente útil como um antidepressivo, bem como pelas suas propriedades estimulantes e anorexiantes. A falta de tirosina, em contrapartida, tem mostrado ter consequências graves. Por exemplo, os indivíduos com fenilcetonúria (não capazes de converter fenilalanina em tirosina, devido a uma ausência hereditária de fenilalanina hidroxilase secundária), podem desenvolver graves sequelas físicas e mentais.


Alimentos ricos em tirosina

Abaixo, uma lista com 10 alimentos ricos em tirosina:

  • Algas (Spirulina): A spirulina é uma alga azul verde rica em muitos nutrientes, incluindo tirosina (2000mg / 200 calorias);

  • Soja: A soja e seus produtos como o isolado proteico e tofu contêm boas quantidades de tirosina (2000 -1900 mg / 200 calorias);

  • Ovo: Os ovos são uma das fontes de tirosina. Ovo de qualquer forma pode fornecer 1900 – 1600mg de tirosina / 200 calorias);

  • Aves: peru, codorna, galinha, pombo e pato contêm quantidades apreciáveis de tirosina (1700 – 1500 mg / 200 calorias);

  • Frutos do mar: peixes (como o bacalhau, atum, salmão, etc.) e outros frutos do mar como caranguejo e camarão são muito boas fontes de aminoácidos (cerca de 1600mg / 200 calorias);

  • Carnes: Todas as carnes contêm tirosina, mas carne de porco e de alces são boas fontes;

  • Queijo cottage: o queijo Cottage, especialmente as variedades de baixo teor de gordura, são ricos em tirosina;

  • Castanhas: Amêndoas e amendoins são excelentes fontes de tirosina;

  • Sementes: as de abóbora e de gergelim são boas fontes de tirosina;

  • Feijão: feijões são uma boa fonte de tirosina para veganos.

A tirosina como um suplemento nutricional: algumas alegações

O suplemento de L-tirosina parece ter se tornado um dos novos queridinhos no mundo dos suplementos. A razão parece ser principalmente porque ele é o precursor de alguns neurotransmissores como a norepinefrina e dopamina e tem sido demonstrado que a administração de tirosina pode acelerar a síntese da catecolamina no sistema simpatoadrenal humano.

As últimas informações sobre tirosina contêm alegações de que seu uso faz “maravilhas” para o desempenho esportivo e para a perda de peso, e para qualquer outra coisa que pode o afligir. As propriedades e efeitos da tirosina, de acordo com as informações e anúncios, incluem:

  • Aliviar o estresse, tanto no dia a dia quanto nos exercícios;

  • Aliviar a depressão, esgotamento, ansiedade e fadiga mental. Muitas vezes, a tirosina é recomendada para uso com a erva de São João, uma preparação de ervas que é tida como um coadjuvante para a depressão leve;

  • Melhorar o estado de alerta e melhorar o desempenho cognitivo;

  • Melhorar a intensidade do treino, aumentar a recuperação e evitar overtraining – secundária a sua capacidade de influenciar os níveis periféricos e do sistema nervoso central de neurotransmissores;

  • Aumentar a termogênese, lipólise e maximização da composição corporal;

  • Tratar a dependência de cocaína, retirada da cafeína e outras drogas (vícios);

  • Melhorar os sintomas da tensão pré-menstrual (TPM).

Embora algumas dessas reivindicações possam ser falsas, a pesquisa sobre tirosina substancia algumas delas. Estudos em animais demonstraram que os agonistas de norepinefrina reduzem quedas na memória relacionadas à idade. Em um estudo recente, a tirosina (100 a 200 mg / kg de peso corporal foram usadas 15 minutos antes do desafio) melhorou significativamente o desempenho dependente da memória. A tirosina foi apontada para minimizar ou reverter o estresse induzido ao aumentar os níveis de norepinefrina no cérebro.


Os benefícios do suplemento de L-tirosina

Embora haja demasiadas/exageradas alegações, não comprovadas, sobre os efeitos do suplemento de L-tirosina, estudos têm demonstrado os efeitos benéficos. Por exemplo, vários estudos nas últimas duas décadas têm demonstrado que a tirosina:

1. Modula os efeitos do estresse agudo

Num estudo, a tirosina sozinha, em animais não submetidos ao estresse, não surtiu efeito. As situações estressantes têm que estar ocorrendo para que esse aminoácido possa ter efeito. Assim, a tirosina complementar pode ser útil terapeuticamente em pessoas expostas cronicamente ao estresse.

Em outro estudo, o pré-tratamento com tirosina suplementar não só impediu a depressão comportamental e o esgotamento do hipotálamo observado após um estresse agudo, mas também suprimiu o aumento da corticosterona no plasma. Alguns estudos têm mostrado que o tratamento prévio com tirosina reverteu ou preveniu a depressão comportamental induzida por hipotermia.

2. Pode ser útil para perda de peso

Um estudo recente demonstrou que a tirosina melhora algumas das perturbações neurobiológicas de restrições alimentares, sem causar um aumento no peso do corpo. Vários estudos demonstraram também que a suplementação de L-tirosina pode ser eficaz em alterar a composição corporal.

3. Melhora o desempenho cognitivo em condições estressantes

Um estudo que analisou os efeitos do aminoácido tirosina no desempenho de tarefas cognitivas constatou que a suplementação com tirosina pode, em circunstâncias operacionais caracterizadas por estresse físico e psicossocial, reduzir os efeitos do estresse e fadiga na execução de tarefas cognitivas. Outro estudo descobriu que a suplementação com tirosina pode apoiar a memória quando a necessidade de execução de tarefas simultaneamente degrada o desempenho.


A tirosina como uma potencial ajuda para a redução de peso e gordura

Um dos principais mecanismos da maioria dos meios de perda de gordura é o aumento da estimulação do sistema nervoso central (CNS) e do nervoso simpático (SNS). A estimulação destes sistemas geralmente aumenta a liberação de dois hormônios, chamados de catecolaminas, e que são os principais mediadores da lipólise e da termogênese no corpo. A importância disto para a dieta é uma redução da gordura corporal.

Estudos sugerem que a potência farmacológica ou duração da ação de vários compostos simpatomiméticos podem ser limitados pela quantidade de substrato endógeno disponível para a síntese das catecolaminas. Portanto, a tirosina suplementar pode prolongar os efeitos de redução do apetite de anorexiantes.

Em um outro estudo, uma dose mais baixa de anorexiantes coadministrada com a L-tirosina foi tão eficaz na supressão do apetite, como foi a dose mais elevada do anorexiante sozinho. Assim, a suplementação com L-tirosina pode permitir a uma dose significativamente inferior de anorexiantes e ainda manter uma resposta terapêutica.

Todavia, é importante salientar que a potenciação dos efeitos induzidos por simpaticomiméticos e L-tirosina é atenuada quando a L-valina é coadministrada. Um aminoácido grande e neutro, a valina compete com a tirosina para a captação no cérebro e, portanto, reduz a eficácia de L-tirosina. Há vários estudos e discussões a respeito de outros possíveis efeitos da suplementação de tirosina, mas não há consenso sobre os resultados.


Efeitos Adversos

Enquanto o uso de tirosina suplementar é geralmente inócuo, pode ser perigoso em algumas circunstâncias. As mais óbvias são em casos de fenilcetonúria e nos que receberam medicamentos antidepressivos que atuam por inibição da monoamina oxidase, enzima que é responsável pela degradação e inativação das catecolaminas. Neste último caso, uma acumulação de catecolaminas, incluindo a tiramina, que podem ser encontrados em certos alimentos e formados a partir de tirosina no intestino por bactérias em alguns alimentos, pode resultar em perigosos aumentos na pressão sanguínea.